domingo, setembro 18, 2005

Encontros de Poesia - 17 de Setembro


A noite esteve fria mas o Encontro de Poesia, ontem, é um evento a recordar. Ouvir versos de Pedro Tamen, Vasco Graça Moura, Nuno Júdice, Maria do Rosário Pedreira, Pedro Mexia e Jesús Munárriz (espanhol, uma interessante descoberta), ditos pelos próprios é muito mais do que se poderia imaginar.
Ouvir a verdadeira literatura portuguesa, ouvir a riqueza vocabular e fonética da língua materna. Ouvir o vento a preencher a pausa entre os versos e a juntar as sílabas. E, por último, ouvir, sentir o concerto do Quarteto de Carlos Martins. Se gostasse de lugares-comuns diria "ouro sobre azul", prefiro memorável.
Ofereceram-nos um estendal representativo da nossa contemporaneidade literária em que se pode inferir e corroborar, numa primeira análise, até pouco reflectida, a velha frase que diz que nós somos um país de poetas. Versejar é-nos visceral. A poesia é, inequivocamente, a nossa melhor forma de expressão literária. E a mais complexa também.Posted by Picasa

1 comentário:

João Scottex disse...

Que pena não nos conhecermos!
É sempre bom encontrar amigos, particularmente em ocasiões deste calibre.
O teu comentário ao encontro é tão realista como o frio que senti, para não apanhar uma grande constipação (só tinha vestido uma camisa fresquinha!), tive que me ir embora.
Bjx